Fora Collor, de Chico Caruso

Nas últimas semanas o ex-presidente Fernando Collor voltou aos noticiários com seu nome envolvido em mais um caso policial com seus modestos carros, de alguns milhões de Reais, sendo apreendidos pela Polícia Federal. O que nos fez lembrar que em 1992, o cartunista Chico Caruso havia lançado uma coletânea de trabalhos publicados originalmente no jornal O Globo e na revista Veja, entre 1990 e 1992. Era o livro Fora Collor: O fenômeno em decomposição.
Apesar de retratar os acontecimentos da época e do turbolento governo que culminou no impeachment do então presidente, algumas charges ainda parecem muitos atuais.

Para que um fenômeno se decomponha, é preciso que vários outros ocorram. Este é o boletim da maior história policial da história do País. Pessoas jurídicas, físicas, varas de família, sigilo bancário – foram todos pras cucuias, levados pela ânsia de uns poucos de fazer, como diria o Barão, “de sua vida pública uma extensão da privada”.
Acabou na descarga. Quem viveu viu. Quem quiser rever pode começar por aqui. (Rio, novembro de 1992. Chico Caruso)

O livro ainda é facilmente encontrado em sebos em todo o Brasil.

caruso-collor1 caruso-collor2 caruso-collor3 caruso-collor-capa

  • Caruso, Chico. Fora Collor: o fenômeno em decomposição. 3. ed. São Paulo: Globo, 1993.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *